Mostrando postagens com marcador Diversos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Diversos. Mostrar todas as postagens

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Recomeçar, oh palavrinha difícil.

Recomeçar, oh palavrinha difícil. Essa semana eu perdi uma pasta de fotos e não foi qualquer pasta foi a pasta de hospedagem de imagens do blog que ficava salva no google fotos/ google drive/ picasa. Até agora eu não sei bem o que aconteceu e desencanei de tentar entender. Só sei que foi impossível recuperá-las e que TODAS as fotos do blog desde 2012 SUMIRAM, inclusive os layouts antigos que ficavam salvos nessa pasta também. 
Com essa perca pensei em desistir do blog, a princípio achei que era o destino me mandando uma mensagem, porque esse ano comecei a estagiar na faculdade e já vinha há um tempo pensando em desativar o blog por causa disso, mas não tinha coragem (infelizmente minha profissão exige um certo distanciamento e privacidade). Não é atoa que andei fazendo algumas alterações no meu perfil por exemplo... 
Pois bem como podem ver eu não desisti, estou aqui. Quando percebi que tinha perdido todas as fotos de imediato não fiz nada, pensei em chorar, mas sabia que nada iria adiantar, respirei fundo e segui em frente, porém dois dias depois ao abrir o blog descobri que todas as fotos tinham desaparecido e fiquei paralisada ao ver ele todo branco. Foi aí que a ficha caiu, senti dor, desidratei de tanto chorar, me permiti fazer drama mesmo sabendo que não ia adiantar nada! Foram 5 anos de história apagados e quem me conhece sabe que sou uma pessoa extremamente apegada a lembranças. Resolvi desistir, mas depois ponderando essa decisão percebi o quanto esse espaço é/foi importante para mim, queira ou não ele é parte da minha vida e perder as fotos me fez perceber isso. 
Não vou parar, ainda não sei direito o que vou fazer, devagar estou tentando voltar as fotos no lugar (é um trabalho exaustivo procurar e colocar foto por foto) além disso quando chegar em meados de 2014 eu provavelmente não vou ter mais backups das imagens, estou me esforçando para resgatar o máximo possível.
Com esse episódio aprendi algumas lições, inclusive percebi uma coisa importante, não tem porque esconder parte de mim e tampouco desistir e excluir tudo isso por causa dos meus estágios, afinal essa sou eu, tenho meus medos, inseguranças, dúvidas e opiniões como qualquer outra pessoa (sou humana) e além disso nem sei ainda se vou seguir a psicologia como profissão, é bem provável que não, então acredito que deixar de escrever é me precipitar sem necessidade. 
Esse texto era mais um desabafo e tinha como objetivo sinalizar que o blog está cheio de imagens faltando e que se alguém entrar por aqui e vê-lo assim entenda o que aconteceu. Estou recomeçando, não está sendo fácil, mas estou tentando e até que está sendo legal. 
Acho que esse texto pode ser um pouco motivacional/ auto ajuda também, recomeçar é sempre difícil mas ao mesmo tempo muitas vezes é necessário. Doí perceber que tudo na nossa vida é volátil, que podemos perder tudo em um piscar de olhos e que não temos controle sobre nada. Porém saber perder é um grande aprendizado, pelo menos esse episódio de perda me fez me sentir na primeira série aprendendo a escrever de letra cursiva, a gente quebra a cara, mas quando vê tá escrevendo tudo de novo e bonitinho. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O que você compraria se ganhasse na loteria?


Esse é mais um post da Blogagem Coletiva! E gostei muito desse tema, porque desejo tantas coisas no mundo e o que desejamos diz muito do que somos, não é mesmo?
A primeira coisa que eu gostaria de compartilhar é que realmente não acredito em loteria! Você nunca vai me ver jogando na Mega Sena e de verdade não consigo me imaginar ficando rica da noite para o dia. Mas nada me impede de sonhar com vários itens que eu gostaria de ter caso eu ganhasse. Bom essa é a lista de itens que compraria.

1. Comprar uma fazenda/ Sítio/ Rancho: Meus pais gostam de terra, de natureza e de tranquilidade! Como eles me sustentaram a maior parte do tempo e sempre fizeram tudo por mim, acho que seria muito justo realizar um sonho deles. Apesar que eu estaria realizando um sonho meu também, porque gosto da ideia de ter uma casa de campo para passar as férias, finais de semana prolongados e afins. Além disso gosto de andar de cavalo, andar descalça na terra, comer verduras e frutas sem agrotóxico, dormir com o barulhinho de grilos, acordar com os galos cantando e respirar ar puro.

2. Comprar todos os livros que eu desejo: Aqui em casa temos um combinado que eu só posso comprar livros depois de vários meses pós lançamento que é quando eles já estão mais baratos (Esse combinado surgiu numa época que eu lia muito e meu pai comprava mais de 15 livros por mês para mim). Se eu fosse rica certamente compraria todos os livros que eu quisesse sem olhar preços. Inclusive me daria de presente o Livro Vermelho do Jung, que é meu sonho de consumo, mas sempre que penso em comprá-lo penso que posso gastar o dinheiro em uma passagem de avião.

3. Falando em avião, com certeza eu investiria boa parte do meu dinheiro em passagens áreas e itens para realizar viagens. Faria um mochilão pelo mundo sem tempo determinado para voltar (Não que eu precisasse de muito dinheiro para isso), mas com dinheiro não precisaria me preocupar com trabalhos e nem em economizar tendo que viver na miséria durante a viagem. 

4. Construir uma ONG: Esse é um dos meus projetos a longo prazo tendo ganhado na loteria ou não. Ter um lugarzinho especial para acolher crianças desse mundão que precisam de suporte, educação e amor. Iria querer uma casa recheada de espaços, com uma sala de leitura, uma brinquedoteca, uma horta, um espaço para brincadeiras ao ar livre, salas de tecnologia, salas de danças, um anfiteatro, uma área com cama elástica e muitas outras coisas. Além desse espaço ser uma ONG eu morro de vontade que também fosse um espaço de formação, educação e trocas de saberes, em que pessoas de diferentes classes, formações e realidades pudessem se reunir para workshops, cursos, reuniões e projetos criativos. 

5. Eu certamente compraria ações, para investir meu dinheiro e continuar ganhando mais ainda.

6. Investiria em um próprio negócio também. Talvez uma marca de roupas, sempre tive vontade de ter uma loja com as roupas que eu sempre quis ter, mas que tivessem uma produção própria, sustentável, consciente. Ah e acho que iria querer também lançar uma coleção de sapatos (Minha avó trabalhou em uma fábrica de sapatos quando solteira e existem vários modelos que ela costurava que eu gostaria de relançar, tipo uma coleção: Túnel do tempo).  

Tentei pensar em mais coisas, mas não consigo imaginar mais nada. Eu nunca fui muito ambiciosa e desde pequena meus pais me ensinaram a não dar muito valor a bens materiais. Talvez se eu ganhasse na loteria poderia ter uma vida mais luxuosa, gastar com coisas confortáveis e obter objetos de desejo (tipo um guarda-roupa com aquelas peças luxos que eu dou pin no pinterst ou uma internet com velocidade foda) seria bem bom, mas eu sei que independente disso, seria muito feliz sendo rica ou não, ao levar a sério a ideia de que sempre precisamos almejar o necessário para uma boa qualidade de vida e não os bens materiais que a mídia nos diz que precisamos. 

Essa postagem faz parte da Blogagem Coletiva do mês de fevereiro no qual os seguinte blogs estão participando:Sentimentos ApuradosBlog RadioativaBlog do Deivy, At daytime, crazy at night  e Shiny Bubbles 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

"O que escreveria na última folha de papel em branco do mundo"


Esse post faz parte de um projeto que esse inicia esse ano, que envolve todo mês realizar uma blogagem coletiva, em que vários blogueiros se organizam e postam sobre um determinado assunto nos seus respectivos blogs! Dessa maneira o tema desse mês foi: "O que escreveria na última folha de papel em branco do mundo"
O que escrever na última folha de papel em branco do mundo? Eu pensei durante dias em como escrever esse post, e mais precisamente sobre o que escrever nesse papel que eu teria em mãos. Decidi que antes de falar o que eu escreveria que seria necessário explicar o porque eu escreveria o que escrevi e mais que isso gostaria de deixar algumas reflexões que me levaram a tomar essa decisão. 
Pois bem, se eu tivesse com o último papel em branco do mundo, seria um sinal de que não se existiria mais papel no planeta, já parou para pensar no que isso significaria? A primeira coisa que pensei é que certamente o mundo teria evoluído e desenvolvido novas tecnologias para substituir a matéria prima papel, o que de certa maneira não seria totalmente ruim (árvores não morreriam mais), porém já parou para refletir sobre o quanto papéis são essenciais em nossas vidas e o quanto se eles deixassem de existir causariam um grande rebuliço nas nossas rotinas atuais? Resolvi fazer uma lista de algumas coisas que entrariam em extinção sem os papéis:

1. As fábricas de papel higiênico faliriam (Não gosto nem de pensar como faríamos, voltaríamos a usar folhas de árvores?), juntamente com as fábricas de papel higiênico certamente faliriam as de lápis de cor, canetas, borrachas e cadernos (Adeus canetas Bic, Faber-castell e tilibra).

2. Deixariam de existir caixinhas de leite, creme de leite, leite condensado e de suco Del Vale, voltaríamos para a era das garrafas de vidro e das latas.

3. Dinheiro? Pois é, as pessoas iam ter que voltar para a era medieval das moedas ou talvez os cartões de créditos seriam fabricados totalmente em plástico.

4. Livros? Só digitais... Esqueçam também os marca páginas...

5. Caixinhas de remédio? Esquece. Caixa de cereal sucrillos? Esquece. Caixa de sapato? Esquece. 

6. Papel para você anotar aquele telefone ou endereço? Esquece. Post it? Nem sonhando... Sabe aquele bilhete que você deixa pregado na geladeira? Ou aquela carta bacana que você escreve para um amigo? Vai ser coisa do passado.

7. Sabe aquela tão sonhada foto maneira? Só vai existir em formato digital. Logo não existirão mais porta retratos tradicionais...

8. E para limpar a boca na janta? Só guardanapo de pano!

9. Sabe aquele presente que você queria fazer um embrulho legal para entregar? Pois é, papel de embrulho já era...

10. Jornal, revista? Você vai precisar de internet... Clips? As pessoas nem vão se lembrar para que eles serviam...

Com certeza tem inúmeras outras coisas mais importantes que nós não conseguiríamos viver que eu esqueci de falar aqui ou que nem mesmo consegui pensar (Acabei de lembrar de mais um, documentos... Como seria nossos RGs? CNH? Passaporte? Tudo digital?). Foi pensando em tudo isso, que resolvi que se eu tivesse com o último papel do mundo em mãos para escrever o que eu quisesse, eu diferente de muita gente, não escreveria nada, talvez escreveria algo do tipo "Isso é um papel, era usado para diferentes fins durantes milhares de anos", porque eu faria isso? Porque gosto de pensar que seria importante a história preservar algo que foi essencial e fundamental por muitos anos na história da humanidade... E do mesmo jeito que gosto de ver lanças pré históricas, ossos de dinossauros, castelos medievais nos museus, acho que gostaria de ver o que era um papel se fosse de uma geração futura em que eles não existiriam. E vocês? O que fariam com o último papel do mundo se ele estivesse em suas mãos? 

Esse post como já dito anteriormente faz parte de um projeto de blogagem coletiva, do qual participam os seguintes blogs (Todos eles deram fins diferentes para essa questão do que escrever na última folha de papel) Sentimentos Apurados, Blog Radioativa, Fotografei, Blog do Deivy e Shiny Bubbles  

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

A lista: Tchau 2016!


Falta menos de 3 dias para terminar 2016 e começar 2017... Eu não sou muito fã de final de ano, mas lembrei que ano passado eu fiz um post aqui no blog com uma lista de projetos para 2016 e agora que o ano realmente está indo embora, resolvi reler a postagem e ver se eu consegui cumprir minhas metas e objetivos! E não é que eu fiquei bem feliz com o conquistado? Muitas coisas aconteceram que eu nunca imaginei que fosse conseguir realizar nesses 10 meses e das 10 metas cumpri quase 8, o que me deixou completamente feliz (80% é muita porcentagem minha gente). Então resolvi colocar aqui um pouquinho dos meus objetivos desde os cumpridos até os não cumpridos.

1° Fazer alguma atividade física.  NÃO CUMPRIDO
Mais um ano de sedentarismo para a lista, não fiz absolutamente nada, não me orgulho disso, mas sabia que isso poderia acontecer afinal já tinha consciência que seria uma das primeiras coisas que eu deixaria de fazer para sobrar tempo para outras coisas que acaba, sendo minhas prioridades. Quem sabe essa realidade não mude em 2017 né? Ainda sinto falta da natação...

2° Voltar estudar línguas.  CUMPRIDO
Uma das coisas que mais me deixou feliz foi poder estudar uma língua que eu realmente queria e não simplesmente por obrigação! Diferente do que eu imaginava não voltei a fazer inglês mas sim espanhol! Me sinto realizada em poder estudar e é uma forma de eu continuar praticando o que aprendi na Argentina!

3° Ir no médico com uma frequência regular. CUMPRIDO
Eu fiquei doente esse ano, o que é bizarro porque fazia muito tempo que eu não passava mal, tipo uns 5 anos. Tive que tomar soro pela primeira vez e acho que isso me fez tomar vergonha na cara e ir nos meus médicos de forma regular para fazer exames de rotina e deixar minha mãe feliz!

4° Usar menos lentes de contato e mais óculos. CUMPRIDO PARCIALMENTE 
Reduzi a quantidade de tempo que passo com lentes de contato, mas ainda estou num movimento de aceitação em ir de óculos na faculdade ao invés de lentes, mas esse ano comecei a trabalhar melhor com minha auto confiança e consegui ir alguns dias sem me preocupar tanto.

5° Viajar mais. CUMPRIDO
Acho que foi o ano que mais viajei na minha vida! Não fui em nenhuma cachoeira como eu queria, mas conheci 3 países, viajei pela primeira vez para o Nordeste, turistei por São Paulo e Rio de Janeiro. E mais que isso consegui realizar uma viagem internacional com toda a minha família como eu sonhava!

6° Realizar/ participar de um novo projeto social do qual ainda não faço parte. CUMPRIDO
Eu achava isso meio impossível porque na época eu já participava de um Grupo de Apoio Psicológico, já fazia parte de um Cursinho Popular e já coordenava um grupo de jovens. Mas tanta coisa linda aconteceu e as minhas atividades sociais duplicaram para minha felicidade, eu ainda nem sei como consegui arrumar tempo para tudo, só sei que passei a Coordenar um projeto de capacitação de adultos carentes, comecei a promover uma roda de empoderamento feminino em uma ocupação do Movimento do sem Teto, fiquei por um período na AIESEC contatando ONGS que queriam receber intercambistas e por fim comecei um projeto de extensão junto com amigos para trabalhar com crianças num núcleo de Crianças e Adolescentes no contra turno da escola.  Ufa foi muitas horas, projetos, energia dedicadas a outras pessoas, foi o ano que mais me doei, mas também mais recebi! Aprendi tanto que nem tenho como agradecer, sou eternamente grata porque foi graças aos trabalhos e as pessoas que conheci que consegui me encontrar comigo mesma e perceber que estou no caminho certo e que talvez eu nasci mesmo para fazer psicologia.

7° Atualizar o blog.  CUMPRIDO 
Estou bem contente com as atualizações que eu fiz esse ano, não foram atualizações constantes como os blogueiros de plantão realizam, mas foram as atualizações necessárias. Já aprendi que isso é um hobbie e que não tenho muita intenção de viver refém daqui, mas que as postagens sejam apenas uma válvula de escape.

8° Defender minha monografia e publicar um artigo. CUMPRIDO PARCIALMENTE
Defendi minha monografia, nem acredito! Amém! Eu não aguentava mais e agora estou pronta para estudar novos assuntos do meu interesse! Em contra partida não escrevi meu artigo ainda, porém espero que consiga escrevê-lo até o final das férias!

9° Ler mais, sair mais e dormir menos. CUMPRIDO
Eu tive que aprender a acordar cedo nos sábados por causa que meu espanhol era de manhã e nos domingos também porque por um longo período eu tinha reuniões da AIESEC, até que eu resolvi dar uma folga para mim e sai da AIESEC para poder me dedicar mais a outros projetos que eram mais significativos para mim e de brinde passei a conseguir dormir até mais tarde no domingo. Com o tempo que ganhei em dormir menos eu consegui aumentar um pouco o nível das minhas leituras comparadas com ano passado (Não muito) e com certeza saí mais, mesmo estando esgotada de cansaço na maioria dos rolês.

10° Tirar carta.  NÃO CUMPRIDO
Cadê o tempo? Mas uma vozinha na minha cabeça me diz que de 2017 não passará!

Bom, essas foram as metas de 2016, é legal vê-las e pensar o quanto amadureci realizando ou tentando realizar cada uma delas. Acho que se eu quisesse conseguiria fazer com que cada item virasse uma única postagem... Agora ando pensando nas metas de 2017, gostei dessa coisa de fazer lista, mas parece que não quero me cobrar tanto para o próximo ano, então talvez nem role planos tão sistematizados, estou ainda me resolvendo...

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Instagram que inspira- Meus 5 preferidos


Minha rede social preferida sem sobra de dúvidas é o instagram, perco muito tempo com ela e talvez por conta de saber que sou viciada, evito as outras redes sociais, não sou fã do Facebook e entro somente para responder as pessoas que me mandam mensagem por lá (as vezes demoro dias para responder) e para pegar documentos da faculdade que são postados no grupo da sala, o Snap abandonei a muito tempo e Twitter nunca cogitei ter mesmo. Meu amor pelo insta é tão grande que nem sei porque, acho que é a possibilidade de apreciar o artístico que muito dos feeds têm, mas um artístico que transpassa a arte e se implanta no dia-a-dia, no cotidiano, na simplicidade da vida. Gosto da ideia da nossa vida com um filtro do instagram (entendo que muitas pessoas mascaram sua vida com esse filtro, mas gosto da outra ideia de que algumas pessoas compartilhem o que há de mais bonito nas suas vidas e inspiram outras). Pensando nisso resolvi selecionar 5 feeds brasileiros que gosto muitão e amo deixar vários coraçãozinhos nas suas fotos!
  

1° Dele e Dela (@deleedelablog): Pensa num casal muito fofo, são os dois. O dele e dela retrata em fotos a vida da Isa e do Fê, as viagens, os restaurantes que frequentam, e todo o amor que compartilham, eles tem um blog também muito legal e adoro demais as postagens que são feitas com muito carinho, cuidado e dedicação por lá.


2° Tudo orna (@tudoorna): O feed mais bem cuidado que eu conheço desse mundo, o tudo orna é a junção de três irmãs talentosas, estilosas, organizadas e inspiradoras. Elas escrevem num blog, tem uma marca de bolsas e demonstram a partir de suas fotos o estilo de vida sustentável, minimalista e clean que colocam em prática no seus cotidianos. 


3° Isa Ribeiro (@ribeiro_isadora): Acho que o feed mais simples e mais amorzinho que sigo, a Isa é uma fotógrafa super talentosa, com um estilo de vida de dar inveja (uma inveja positiva), só admiro e babo nas suas fotos, ela tem um olhar incrível que perpassa sua casa (que é linda demais), seus cachorros e até a natureza e a cidade que são vistas por uma outra perspectiva. Amo seus coquês altos e suas botinhas de cano curto e claro seu feed!


4° Babi Cady (@babicady): O que falar de uma mulher corajosa que decidiu largar tudo e dar uma volta ao mundo sozinha? E além de dar uma volta ao mundo ela resolveu compartilhar tudinho com a gente e incentivar nós mulheres/meninas colocar a mochila nas costas também? Amo demais a Babi, ela é uma inspiração para mim e suas fotos me faz viajar sem sair do lugar. Já fui para Amazônia, para Colômbia, Cuba, México com ela e agora estamos juntas em Portugal!


5° Kalinka Cope (@kalinkacope): Por último mas não menos importante tem o insta da Kalinka, conheci a pouco tempo e já amo pakas, ela retrata em fotos sua vida em família e sua vivência como mãe de um menininho lindo chamado Luc que tem 3 anos. Super talentosa e com um olhar único, a delicadeza dela me comove e me tira suspiros, fora que tenho vontade de apertar as bochechas do Luc.

Extra: Eu por algum motivo fiz as contas erradas, não são 5 mas sim 6 feeds amados, queridos e seguidos por mim!


6° Day Trippers (@daytrippersbr): Um casal, um carro e o mundo, essa é a definição desse feed, faz três anos que a Isa e o Rafa viajam pelo mundo com um carro que eles nomearam de curumim, e eles vão registrando tudo para nós que vamos levando nossas vidas e tirando férias apenas duas vezes ao ano. Agora eles tão registrando a viagem pela África e o trabalho voluntário que andam fazendo por lá! Fotos incríveis! 

É isso, um registro do pouquinho do meu insta e do que acompanho todos os dias! Aceito dicas e sugestões de outros feeds que vocês curtem também <3.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Uma carta para nunca ser enviada


Ribeirão Preto, 18 de maio de 2016

Oi,

Sabe eu sempre escrevi muitos bilhetes e cartas que eu queria ter enviado e não enviei, a grande verdade é que sou uma pessoa medrosa que pensa muito e fala pouco, que sente muito, mas demonstra pouco, que ama muito e quase nunca pronuncia"eu te amo". Teve dois bilhetes que eu escrevi e deveria ter entregue, mas não fiz. E hoje me arrependo... Dois bilhetes para duas pessoas que eu amei muito. Um deles eu cheguei a quase entregar, e esse era para ter sido para você... Eu lembro certinho do papelzinho na minha mão e dos seus olhos me olhando, mas eu amassei discretamente antes que pudesse ver e coloquei no bolsa da calça. E três anos depois aqui estou eu escrevendo uma carta para você. E essa não é a primeira, eu tenho uma no meu diário, mas nunca tive coragem de te entregar, faltou coragem, faltou oportunidade. A segunda grande verdade é que escrevi tendo a certeza que nunca ia te entregar. Minha vida virou de ponta cabeça e hoje fico pensando o quanto seria engraçado ter te entregue tanto o bilhete quanto a carta. As vezes as coisas seriam diferentes hoje, provável que me entendesse melhor se soubesse dos meus sentimentos... Mas tudo bem, ficou no passado, um passado que eu acredito que foi bem resolvido. 
Todos meus amigos me falam que eu deveria dizer o que eu sinto para as pessoas que eu gosto, mas eu tenho uma besta mania de dizer isso só quando eu não gosto mais, com você foi assim... Na verdade não foi, porque diferente de tantas outras histórias mesmo depois de ter te superado, não tive a oportunidade de te dizer o quanto foi importante para mim, talvez essa carta seja para isso e acho que essa foi a primeira vez que assumi isso para mim mesma. Você foi importante para mim.  Me fez superar um par de all star, sorrir, entrar em parafuso, sentir ciúmes, chorar menos, lidar melhor com a perda, preencheu um vazio que estava lá me matando. Aprendi não prestar atenção nas aulas chatas, a sustentar um olhar e fingir que estudava matemática na biblioteca só para não precisar olhar para seus olhos. 
E engraçado que por mais que eu ache que você me deixou, dessa vez foi ao contrário, eu não te perdi, você que me perdeu. Cumpriu com nossa promessa silenciosa, diferente do outro não me abandonou, foi eu...Eu que fui embora, não me despedi, escolhi não fazer nada, não lutei, escolhi te esquecer... Talvez porque me senti culpada, eu não tinha superado minhas perdas e meus fantasmas, senti medo de você me deixar também, preferi te deixar primeiro, acho que não suportaria perder outra pessoa. Ou foi simplesmente porque como você pensava, eu deveria viver a faculdade e você o cursinho. Lembro do seu argumento de que não poderia me acompanhar, não queria me privar... Caraaamba como foi bobo, eu preferia mil vezes que ficássemos juntos do que frequentar mil festas de faculdade (das quais nunca frequentei), mas poxa, conseguiu me convencer e eu não quis te provar do contrário. Escolhi não argumentar, e essa escolha as vezes me persegue, porque queria ter te falado o quanto era importante para mim, que sofri em te deixar, eu queria ter argumentado. Queria saber se sofreu como eu, nunca soube, nunca permiti depois que falassem de você para mim.
Mas a vida passa e as palavras passam junto! E eu não falei o que precisava, você não falou o que precisava e nossas vidas seguiram para lugares diferentes, para pessoas diferentes, para universos distantes. E eu só queria te ver de novo, e eu só queria parar de te ver em outras pessoas, eu só queria conseguir te entregar essa carta que nunca vai ser entregue, ou um bilhete escrito "você foi importante para mim". A terceira grande verdade é que sinto saudade do que poderia ter sido, mas não foi. 
E eu nunca vou te enviar essa carta, assim como não enviei nem o bilhete nem a outra carta e sabe por que? Porque tenho medo do que poderia achar de tudo isso, de ter esquecido de mim e mais que isso tenho medo de a frase "você foi importante para mim" virar "você é importante para mim".
Seja feliz! Eu sempre quis e continuo querendo que seja, talvez esse que é o sentido dessa carta, dizer que eu me importo com você, me importo sim e torço para que esteja bem! Ainda mais agora que começou uma nova fase da sua vida, ainda mais agora que não tem um cursinho te impedindo de viver o que quiser, liberdade sempre foi uma coisa importante para mim e sei por algum motivo que para você também, afinal será um eterno sagitariano... Tenho certeza que nossas vidas seguiram rumos opostos e que somos felizes a nossas maneiras, a grande quarta verdade é que quero te encontrar no futuro e sorrir e a única mentira é que um dia vou te entregar essa carta e todas as outras que um dia escrevi para você. Porque não vou, e todo mundo que me conhece sabe o porque, afinal sou a pessoa mais orgulhosa desse mundo e desconfio que você também. 

Com amor, eu.

* Essa carta faz parte do "Desafio 12 cartas para 12 meses" que estou participando, um convite da linda da Paulinha do blog Utopia Concreta, no qual explica o projeto nesse post aqui. Essa é a terceira carta que escrevo e consiste em escrever uma carta para nunca ser enviada.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Crises existenciais!


Crises existenciais? Sim, crise existencial! Já teve uma? Acho que todo mundo têm, alguns têm mais constantemente outros são assombrados por esse mal raramente... Eu sou aquela pessoa que dificilmente estou de mal comigo mesmo, porém quando uma crise me pega me derruba tão fortemente que fico semanas mal, e quando digo é mal mesmo, as crises me afundam de uma tal maneira que acho que elas nunca vão passar e me sinto péssima, sem vontade de fazer nada, sem vontade de levantar da cama, sem vontade de viver (dramática, mas é a realidade)... 
Quando converso com as pessoas nessa fase o que elas mais querem é me tirar da fossa, ficam falando coisas motivacionais, falando que é momento e que vai passar e tem até aquele grupo que fala que estou fazendo tempestade no copo de água (eu sei que estou, a começar porque geralmente sou uma pessoa que estou quase sempre de bem com a vida e sei que não tenho sobre o que reclamar dela, ela é sempre muito justa comigo), mas poxa nenhuma dessas pessoas conseguem me tirar da bad com esses argumentos, não funciona e quase sempre me afundam mais ainda! Nesse mundo que vende a felicidade, esquecemos que ficar triste de vez em quando é normal.
Baseado disso resolvi escrever esse texto, para quem está com um amigo na fossa e para quem está na fossa também! Quem sabe você não consegue sair ou ajudar alguém (que tem um temperamento parecido com o meu) a sair da fossa? (Esse texto surgiu porque estive numa crise existencial terrível no mês passado do qual achei que nunca mais conseguiria me livrar, se algum amigo tiver lendo isso, saiba que agora estou bem e muito obrigada pela paciência e por me aguentar por essas 3 semanas intermináveis, eu sei que não foi fácil lidar com o meu humor nos últimos tempos).

Então vamos lá, primeiro vou elencar algumas coisas para gostaria de me lembrar de fazer quando tiver algum amigo em uma crise existencial:

1° Escute: Sim, uma pessoa quando está mal muitas vezes só quer conversar, por para fora todos os sentimentos. Se esse for o caso, escute, não interrompa, não questione muito e nem queria dar lição de moral, simplesmente esteja ali como um bom ouvinte. O contrário pode acontecer também, existem pessoas que não querem falar sobre o que estão passando, então não insista em saber o que está acontecendo, deixe aberto o espaço de acolhimento, mas não force a barra. Não enche a pessoa de perguntas, não seja curioso, o silêncio também é uma forma de ajudar.

2° Não queira dar soluções: Se tem uma coisa que me tira do sério é quando eu quero viver minha bad e alguém acha que pode salvar minha vida... Dê soluções apenas se elas forem pedidas, se a pessoa não te pediu soluções, é porque ela não chegou no estágio de querer resolver os seus conflitos (ok em alguns casos é importante dar um empurrãozinho), mas cuidado o que pode parecer fácil para você pode ser muito difícil para outra pessoa.

3° Sofra a bad junto: Para mim esse é o melhor item e o essencial! No lugar de querer tirar a pessoa da fossa e jogar na cara dela várias coisas, coloca-se no lugar de quem sofre, chore junto se necessário, seja empático e viva a crise e o momento junto com a pessoa (isso não quer dizer que você vai ficar na fossa na sua vida também), isso significa que você vai respeitar o processo do qual quem sofre está passando. 

Agora conselhos que costumo tentar lembrar quando estou tendo alguma crise.

1° Saiba que as bads não são problema são solução: Tudo muito ter esses momentos, tenha consciência que você não tem um problema por estar angustiado, sofrer é humano e por mais incrível que pareça, muitas vezes precisamos desses momentos para se conhecer e crescer. Faça da sua crise algo produtivo (parece idiota), mas sempre tento usar esses momentos para refletir (pensar dói muito) mas pode ser libertador também (se você fizer um bom trabalho).

2° Se permita fugir do mundo: Dê esse tempo para você, esqueça os outros, ser egoísta de vez em quando faz bem para alma. Se enrole no cobertor, deixe a cabeça no travesseiro, durma em posição fetal, se permita achar que é o maior sofredor do mundo, viva sua dor, chore.

3°Autoconhecimento: Depois desse momento, tente descobrir o porque se sente assim, tente perceber o que te aflige, o que você sente, o que angustia... Sabendo essas coisas talvez fique mais fácil sair desse pavoroso momento. Mas também não se cobre muito.

4° Faça coisas do qual você acredita: Aproveite esse momento para fazer coisas que você gosta, que te faz bem, para resgatar coisas que talvez estivessem escondidas, esquecidas. Se permita ler um livro (se você gostar de ler é claro), assistir um filme (se você gostar é claro), fazer o que te diverte! Uma hora você vai perceber que tem coisas muito legais das quais você gosta, mas muitas vezes nem dá o devido valor, se agarre a elas se necessário.

5° Mude: Se permita mudar, mudar coisas que você não gosta na sua vida.

6° Permita: A vida se encarrega de levar a crise embora, mas para isso você tem que permitir, então permita! Lembra que eu disse que toda bad é normal? Todo mundo sente? Que ela é responsável pelo nosso crescimento? Então faça dela um mecanismo de aprendizagem, usufrua dela, mas não deixe ela te fazer um refém. Não negue as coisas que podem te fazer feliz, as coisas não caem do céu também, então não fique esperando que algo ou alguém vai surgir para te fazer feliz, é você que tem que correr atrás disso...

Só para terminar,  isso NÃO é um manual! Nem sei se funcionária para alguém! São apenas coisas que servem para mim e que me ajudaram nos últimos dias (não tem nada de científico), são ideias que escrevi para mim mesma para ler quando outra crise me pegar novamente e que pode ajudar as pessoas que estão passando por uma a refletir sobre esses tópicos.

Aceito dicas e conselhos de outras pessoas que já passaram por isso também...

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Coisinhas da semana: Fotos, músicas e livros...

As vezes acho engraçado a minha capacidade em sumir do blog, mesmo com várias postagens prontas salvadas no rascunho, alguém consegue entender isso? É um mistério que eu mesmo tento compreender e nunca encontrei respostas e o mais engraçado é que eu simplesmente poderia publicar alguma postagem pronta no lugar de escrever coisas aleatórias como estou fazendo agora!

Resolvi apenas passar aqui para falar de do que andei fazendo, ouvindo e lendo nos últimos dias.
Essa semana tentei organizar as milhares de fotos da minha viagem para revelar, mas está difícil escolher quais quero imprimir, não sou uma pessoa muito objetiva e quero revelar tudo... Para registrar isso vou deixar uma fotinha aqui que gosto muito, foi de um dia que eu tenho boas lembranças!


Agora falando de músicas andei escutando duas bandas principalmente, conheci Dingo Bells recentemente e eu e meu irmão estamos viciados em ouvir o álbum deles sem parar e quando digo sem parar é sem parar mesmo, de chegar a enjoar. Eles são muito bons e é impossível não se identificar com as críticas das letras!


Amo as letras e as músicas de forma geral. Vou deixar aqui o link para o álbum completo (dá para baixar gratuitamente todas as músicas no site oficial da banda aqui ó) e para quem quiser curti uma musiquinha deles segue um vídeo abaixo:



Ainda falando sobre música também ouvi muito nessa última semana Esperanza (basicamente enquanto eu não ouvia Dingo Bells estava ouvindo os caras que chamavam Sabonetes e mudaram o nome da banda para Esperanza em 2013) gosto pakas deles e resolvi ressuscitar um álbum deles de 2015 que chama "Z" e na minha opinião está bem diferente do penúltimo que eu gostava também, o "Z" que é o CD de 2015 tá um pop bem tranquilinho, com músicas numa vibe boa, muito meu estilo. CD completo aqui e vou deixar uma das músicas aqui em baixo.



Sobre o que andei lendo nos últimos dias. Foi um romance histórico da Maria Dueñas, que é uma escritora espanhola que eu gosto muito e super recomendo. Ela super mistura história com ficção e eu adoro isso, fora que seus livros sempre conta com bom enredo e bons protagonistas. O que me irritou nesse livro em particular foi a capa, quem vê e não conhece o estilo de escrita da autora pensa que o livro é apenas um romancinho, e a Dueñas sempre foca mais na história dos personagens, no amadurecimento dos mesmos e na luta de sobrevivência deles e menos no amor, então a capa pode soar um pouco enganosa... (Quem sabe eu não animo de fazer resenha...)


E agora estou lendo o louco e amado livro do Oswald de Andrade, que é uma versão linda de capa dura que paguei numa promoção 6 reais e 90 centavos e ainda não acredito. Porque ele é muito bonito, ilustrado e um clássico moderno (essa frase foi paradoxal eu sei, mas ele é uma relíquia). Ainda não sei o que falar sobre, porque é um livro super experimental e está sendo uma experiência bem bacana lê-lo. Basicamente se resume em um diário que ia sendo preenchido com trocadilhos, desenhos, notícias de jornal, piadas e gracejos pelos visitantes da garçonnière de Oswald. É muito  muito peculiar e legal ao mesmo tempo.


Bom, é isso! Vou tentar criar vergonha na cara e começar a programar os posts que estão no rascunho! E tentar fazer mais posts assim sobre coisas aleatórias!

segunda-feira, 21 de março de 2016

A lista que eu nunca fiz: Projetos 2016


Essa postagem é aquela típica postagem que é mais para mim do que para qualquer outra pessoa. Nunca fui de fazer listas das coisas que pretendo fazer! Na verdade listas me desesperam, sempre tenho crise de ansiedade quando as realizo, mesmo porque na minha vida sempre fui péssima em estabelecer prioridade e mais ainda para cumprir obrigações. Por favor se for me mandar fazer algo, troque a expressão "faça isso" para a frase "você poderia fazer isso?" é bem provável que vou fazer muito mais rápido o que você quer que eu faça, se eu não me sentir pressionada a fazer. Todo esse bláblá sem sentido é para falar o quanto odeio escrever listas, tópicos e o quanto na minha vida inteira nunca consegui ter uma agenda.
Mesmo tendo esse péssimo perfil, resolvi dar uma chance para essa coisa de listas para o próximo ano e reunir coisas que eu sei que preciso fazer em 2016, mas algo me diz que vou procrastinar o ano inteiro evitando fazer. Além dos itens que tenho certeza que vou procrastinar também quero colocar algumas coisas que quero muito fazer e sei que não terei tempo, mas quem sabe né? Todos me dizem que não sabem como consigo fazer tudo que faço em 24 horas... Então espero conseguir continuar executar esse milagre de multiplicação das horas dos meus dias para fazer tudo que planejo para 2016.

Vamos lá, aqui vão 10 itens do que pretendo fazer nesse ano!



1° Fazer alguma atividade física. Tudo mundo coloca isso em suas listas né? Esse não deveria ser o item um da minha, porque certeza que vai ser a primeira atividade que vou sacrificar para ocupar o meu tempo com outras obrigações! ( Quem nunca? hahaha) Maaas desde que comecei a faculdade estou bem sedentária e isso não faz nem um pouco bem para minha saúde. Logo pretendo voltar a fazer natação ou me matricular no ioga (que é gratuito por sinal em minha faculdade), desde que fiz uma aula experimental, gostei bastante e prometi começar fazer.

2° Voltar estudar línguas. Siiim fiz inglês praticamente a vida inteira e ainda me sinto insegura em relação a língua. Queria melhorar minha pronuncia que é horrível e aperfeiçoar vocabulário. Além de inglês queria começar outra coisa, espanhol, francês ou talvez italiano.

3° Ir no médico com uma frequência regular. Eu nunca fico doente, é muito raro e por causa disso acabo me esquecendo que exames de rotina são essenciais. Minha mãe fica louca me xingando, falando que preciso fazer exames de sangue e blábláblá.

4° Usar menos lentes de contato e mais óculos. Pouquíssimas pessoas sabem que eu uso óculos. Mesmo eu sendo uma completa cega ( miopia e astigmatismo, não é para qualquer um), só as pessoas que me conhecem a mais tempo ou que me conhecem muito bem, sabem que uso lentes de contato e óculos. Confesso que fico muito mais tempo com as lentes de contato do que o recomendado, tenho uma paixão por elas, acho muito mais prático, confortável do que os óculos, mas preciso mudar esse hábito para minhas córnias continuarem bonitinhas e saudáveis até eu morrer, logo por mais óculos na cara em 2016.


5° Viajar mais. Queria muito esse ano de 2016 ir para um lugar com muitas cachoeiras. E queria andar de avião com minha família pelo menos uma vez. Nós nunca andamos juntos, as duas vez que andei foi porque fui para congressos e as duas estava apenas com amigos.

6° Realizar/ participar de um novo projeto social do qual ainda não faço parte. Desde que me entendo por gente estou engajada em um projeto social seja na escola, na igreja, com os amigos, na faculdade. Além de manter os quais já participo, queria muito começar algo novo.

7° Atualizar o blog. Acho que essa vai ser a mais difícil de cumprir. Sabe o que mais me impede de postar? As fotografias que ilustram os posts, eu nunca tenho tempo para tirá-las e se tem uma coisa que me incomoda é ter que quebrar a identidade visual do blog colocando fotos tiradas por outras pessoas (sou a louca, problemática que se não fizesse psicologia diria que tem TOC), daí por conta de não ter fotos para ilustrar os posts, acabo não postando...

8° Defender minha monografia e publicar um artigo. O que eu mais quero é conseguir terminar minha pesquisa e escrever um artigo científico com os resultados da mesma que possa ser publicado.

9° Ler mais, sair mais e dormir menos. Esse foi o combo que tentei realizar nos meus finais de semana de 2015 mas foi sem sucesso. Eu li muito pouco, saí até que razoavelmente, mas a maior parte deles hibernei, literalmente. Tenho a besta mania de dormir durante a semana só 4 horas/ 5 horas por noite e utilizar o final de semana para dormir tudo que não dormi. Preciso mudar isso!

10° Tirar carta. Por último mas não menos importante, preciso tirar carta, senão meus pais, minha família e meus amigos vão me deserdar. Acho que meus dias de andar de ônibus estão contados, para o meu desespero e para a grande felicidade da nação. (no caso, meus pais)

Acho que é isso! Tchau 2015 e que venha 2016!

*Esse post é super velho, escrevi em janeiro e por motivos aleatórios ficou no rascunho, falando nisso eu tenho uma mania absurda de escrever mil posts e deixá-los parados no rascunho (sabe-se lá por que...). Voltando ao post, ele não deveria ser publicado já que estamos em meados de março, mas pensando melhor resolvi postar por uma questão simples quero ver no final do ano o que consegui cumprir, porque pelas minhas contas até o presente momento cumpri apenas 2 e meio (se é que posso falar assim) dos itens dessa lista hahaha Alguém adivinha quais? 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Desafio 12 cartas para 12 meses- Carta 1

Ribeirão Preto, 19 de janeiro de 2016

Querida Bianca,

Sempre achei brega usar a expressão "Querida fulana" em cartas, mas a gente cresce e nossa criatividade é deixada de lado, então não me julgue por causa dessa expressão enfadonha, um dia me entenderá... Você deve estar se perguntando o porque dessa carta e quem está te enviando. Não tenha um ataque cardíaco com o que vou te contar, o remetente, é você mesma, no caso eu... Isso é muito confuso eu sei, mas sabe aquele seu sonho bobo de querer ir para o futuro?  Não se realizou completamente, mas eu que estou no futuro resolvi te escrever, então dizemos que realizamos juntas o desejo de viajar no tempo, mas no meu caso foi para viajar para o passado e você de receber uma carta do futuro.
Vamos parar com essa babaquice de explicar o inexplicável e vamos ao que interessa, vim aqui para te dizer umas palavrinhas e dar uns bons conselhos, que pode acreditar você deveria seguir a risca. 
Eu sei que está morrendo de medo dessa nova fase que está para começar, colegial, escola nova, amigos e todas essas coisas, não se preocupe e não perca seu tempo com inseguranças. Seja você mesma, não queira agradar ninguém, tenha menos vergonha, e não leve tão a sério aquele povo da sua nova escola. Lá fará grandes amigos e o resto ignore, as pessoas daquele lugar diferente de você são na grande parte do tempo superficiais e nunca vão ter a sensibilidade e experiência de vida que você tem, sinta-se privilégiada e não a estranha.  Falando em amizades, vou te dar um conselho que descobri recentemente, seja menos desapegada, não viva em função dos seus amigos, mas em função de si mesma, mais que isso curta os amigos do presente e não sofra de saudade dos antigos, porque senão você acabará não aproveitando suas amizades atuais e nem as antigas (seus amigos antigos, fizeram novos amigos também, não se esqueça disso). Então a primeira lição dessa carta é viva o presente e não lamente o passado, deixa ele quieto lá e só relembre de vez em nunca para matar a saudade. Segunda lição, mas não menos importante seja menos insegura, tenha confiança em suas decisões (pode ter certeza, no final tudo dá certo) se arrisque mais e se permita errar. 
Agora vamos para as coisas práticas dessa vida! Eu sei que você não gosta de lista, eu também continuo não gostando, mas ando aprendendo que elas são práticas, você deveria tentar usá-las também:
- Não dê ouvidos ao seu pai quando ele fala para estudar mais do que já estuda, ele não sabe o quanto você é a lunática por estudar e te garanto o tempo que está estudando é mais do que o suficiente. E toda sua dedicação no terceiro colegial vai ser recompensada (estude firme, como nos seus planos). Não sinta-se preguiçosa por não estudar no final de semana e nem burra por não conseguir fazer aqueles exercícios de física e de matemática, te garanto eles não vão servir para nada na sua vida (pelo menos não me fez nenhuma falta até agora) e pode ter certeza que eles não vão te tornar mais inteligente).
-Leia, leia muito, leia tudo que quer ler e mais um pouco, os anos vão passar e você não terá mais tempo para ler, toda sua vida vai ser consumada por artigos científicos intermináveis e livros acadêmicos e te garanto quando chegar as férias sua ressaca literária vai ser das bravas.
-Não pare seu inglês, estude línguas, leve a sério os exercícios e as aulas, vai se arrepender amargamente e sofrer pakas para recuperar o tempo perdido.
-Não tenha medo de falar com as pessoas, você é mais simpática do que parece e mais sociável do que pensa. Converse e não se preocupe em arrumar assunto.
-Não perca tempo com uma pessoa aí, você vai conhecer achar que é o amor da sua vida, mas pelo amooor, fujaaa!!! Eu ia te aconselhar a não fugir quando se trata do coração, mas esse conselho é contraditório, porque você sempre foge de quem não precisa e se apega aos que deveria fugir. Sim, você vai brigar comigo e dizer que não é verdade, mas me escute, eu sou mais velha do que você e sei que é verdade.
-Leia mais sobre sua profissão, vá assistir umas aulas em faculdades antes de começar o curso. Não deixe de se abrir para novas oportunidades, não duvide de você e mais que isso ignore os outros. Ninguém vai estudar por você, ninguém vai trabalhar por você, ninguém vai viver por você.
-Faça o que tem vontade de fazer, para não se arrepender depois. 
-Não reclame do seu quarto, você vai voltar a amá-lo muito em breve.
-Seja menos preocupada com as provas, com as aulas, com a escola. Falte para viajar, não fique na noia, mate aula uma vez na vida, saia mais vezes no lugar de ficar estudando loucamente. Esqueça que as provas são importantes, ria mais na biblioteca, vá assistir uns filmes no cine da escola, faça as atividades extraescolares como o espanhol (você vai precisar dele, mais do que imagina), vai viajar para conhecer os museus de São Paulo (antes que não dê tempo, o museu de Língua Portuguesa vai pegar fogo, acredite), vai conhecer as cidades históricas com seus professores (você iria ficar encantada, porque anos mais tarde você ficou). 
-Continue guardando cada centavo que ganha, isso vai fazer uma grande diferença no futuro. 
-Continue fazendo as coisas por amor, ajudando os outros, acreditando em seus projetos e nos projetos dos outros, pode ter certeza que você vai ser reconhecida e quando menos esperar.
-Acredite nessas ideias que estão na sua cabeça, pode acreditar a maioria delas vão sair do papel e mais do que isso você vai ter apoio de pessoas muito especiais na maior parte delas.
-Sim lute para ir para faculdade, ela é sim o que você sempre sonhou. No começo vai quebrar a cara, ficar frustada, se sentir uma enganada, mas depois vai ter uma certeza que nunca teve antes de estar no seu lugar. Lá fará melhores amigos, viverá as melhores experiências e terá as melhores oportunidades. Aproveite, não diga não para o novo!

Por fim não duvide de você, pode ter certeza que esses anos vão ser mais que bem vividos!
Acho que é isso, daqui uns anos nos vemos novamente, seja mais otimista, menos racional e mais impulsiva! Sempre que achar que está sendo certinha demais, se permita ser certinha de menos! Algumas loucuras são bem vindas, gostaria que você descobrisse isso, e não deixasse para descobrir só quando tiver beirando os 20 (nosso caso no momento). 

                                                                                              Beijinhos da Bianca cinco anos mais velha

P.S.: Se cuida! Mudanças são necessárias, mas continuamos ainda bem parecidas, a índole não mudou nada e acredito que mesmo você seguindo esses conselhos aí, não vai mudar radicalmente sua vida não, pode ficar tranquila!



* Essa carta faz parte do "Desafio 12 cartas para 12 meses" que estou participando, um convite da linda da Paulinha do blog Utopia Concreta, no qual explica o projeto nesse post aqui. Essa é a primeira carta e consiste em escrever uma carta para você no passado, há 10 anos, porém modifiquei um pouco e escrevi a carta para mim no passado a 5 anos atrás. Essa modificação se deu porque há 10 anos eu só tinha 9 anos e achei que ia ficar muito próximo do tempo da minha infância que é uma outra carta do desafio.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Os 3 "Poetas Ms" da minha vida


Eu sempre gostei de poesia, num tempo distante quando era ainda uma garotinha sonhava com o dia que um príncipe encantado iria declamar uma poesia para mim ( hahaha inocente). Eu cresci, comecei a escrever poemas, depois prosas poéticas, participei de concursos, desabafei sobre os amores mal vividos, depois escrevi para um livro de coletâneas de poetas amadores como eu, o tempo passou e as poesias ficaram de lado, a escrita enferrujada, as rimas evaporaram e eu larguei mão, a poeta que existiu dentro de mim por algum motivo se aposentou.  
Todo esse desabafo aí em cima é descontextualizado mesmo e eu nem deveria ter escrito, só escrevi porque deu vontade ( bizarro eu sei, nem tente entender). Mesmo deixando de escrever, sempre continuei a ler e apreciar poesia, lembro com se fosse ontem quando deixei de ser a garotinha inocente que gostava só dos versos românticos e descobri outros tipos de poesia que hoje são os meus preferidos. Descobri a poesia do cotidiano, a poesia política, a poesia que você lê e se apaixona sem estar apaixonado.
Descobrir os modernistas e a Semana de Arte Moderna, foi uma revolução na minha vida! Ler Mário de Andrade, Oswaldo de Andrade, foi conhecer a liberdade, a escrita criativa. Foi nessa época estudando Mário de Andrade que descobri o seu amigo Manuel Bandeira e assim a minha paixão pelos poetas apelidados por mim de "Poetas M." começou.


Me apaixonei primeiro por Manuel Bandeira, e por incrível que pareça o primeiro livro que eu li dele é ainda o meu preferido "Libertinagem". Manuel chegou chegando na minha vida, me deixou tão encantada que por dias no lugar de estudar para as milhares de provas que eu tinha na época, só ficava no sofá lendo poesia e quando eu gostava muito de uma e ia ler para outra pessoa, sempre ganhava uma careta do tipo "Por quê você está lendo isso? É tão nada a ver". Mas acho que as pessoas não conseguem entender a poesia dele, a poesia revolucionária para época, a poesia que derrubou os rótulos, que falou sobre o cotidiano e disse muito mais do que qualquer Parnasiano que se diziam escrever as "melhores" e as mais rebuscadas poesias.


Depois de Manuel Bandeira, apareceu diferentemente dele, super de mansinho o senhor Mário Quintana, quando vi estava amando suas poesias. Acho que de todos os poetas que já li, Mário Quintana é o que mais sei poesias de cor e o que eu guardo maior carinho e uma coleção imensa de poesia preferidas. Tudo começou com "Canção de Garoa" eu estava na sexta série  e declamei ela em uma jogral, mal sabia que anos mais tarde seria uma fanática por ler e escrever em posts its coloridos as poesias dele. Amor puro <3 Fora que Mário além de escrever lindamente era um homem cheio de humor, sensibilidade que eu queria ter conhecido.


E por último e não menos importante veio o Terceiro M da minha vida:  Manuel de Barros, com toda a delicadeza, falando sobre infância, sobre o cotidiano, sobre as sutilezas da vida, como não se apaixonar? Acho que quando nós crescemos começamos a dar mais valor as pequenas coisas né? Pelo menos eu mesma comecei a valorizar a sua poesia, quando comecei a crescer, a pouquíssimo tempo, por isso meu amor por ele é jovem e ainda imaturo, mas está sendo aprofundado a cada novo poema lido.
Bom, uma professora que eu tive ainda no ensino fundamental me disse que se sabe muito sobre uma pessoa se você sabe quais os poetas que ela mais gosta, se isso for verdade, vocês já sabem muito sobre mim! Os meus preferidos são os Maravilhosos poetas, o trio charmoso que começa seus nomes com M, M de Manuel Bandeira, M de Mário Quintana e M de Manuel Barros. Se você não gosta de poesia dê uma chance, elas dizem mais do que você lê no imediato! Se não leu nenhum poeta e quer começar a ler, recomendo começar pelo Mário Quintana <3


Se você tentar ler e não gostar de nenhum dos "Poetas M", não desanime, existe uma infinidade de possibilidades.
Gosto também do Leminski, do Drummond, Pablo Neruda, Alphonsus de Guimaraens, Cruz e Souza e os seus amigos do simbolismo, Augusto dos Anjos, Fernando Pessoa e seus Heterônimos, Vinicius de Moraes, Cora Coralina e Adélia Prado (Mas isso é assunto de outro post). Tente algum desses ou outros que você conheça, dê uma chance! Certeza que pelo menos um você vai se identificar, porque para mim poesia é exatamente isso, a arte de sentir exatamente aquilo que o poeta escreveu e por isso a identificação ou a vontade de se permitir identificar é tão importante, acredito que se identificar é o mal e o bem necessário ao leitor de poesia. Se permita! E deixe sua vida ser uma poesia também!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Links favoritados: Um pouco do que andei lendo na internet


Eu nunca pensei em fazer posts assim, mas de um tempo para cá fiquei pensando que as vezes o que eu transmito aqui não chega nem perto do quanto eu queria transmitir, as vezes tenho a sensação que fico dentro de uma bolha nesse cantinho e poucos sabem o que eu gosto de ler, sobre minha opinião sobre alguns assuntos que estão na mídia e até sobre coisas e textos que me identifico, então resolvi postar algumas notícias, textos e publicações que sempre salvo no meu favoritos por achar legais e que eu tenho vontade de compartilhar, mas não sei com quem. Para vocês acessarem as publicações basta clicar em cima de cada título das mesmas! Boa leitura!

Fotógrafo mistura imagens e tem resultados incríveis- Achei essa publicação demais! Um fotógrafo chamado Stepnhen McMennamy resolveu realizar montagens com fotos completamente diferentes umas das outras e o resultado ficou muito peculiar, me diverti muito observando cada uma. As fotos são geniais e o trabalho muito criativo!

Folha retira vídeo de ocupações de estudantes do ar após visita de Alckmin- Eu sei que essa notícia é antiga, mas queria compartilhar a reportagem não por causa do acontecido, mas sim por causa do vídeo que está anexado a ela: "Livros Abertos... Escolas Ocupadas." organizado pela reportagem da Folha e que é lindo, esse mostra a honestidade e dignidade de todo o movimento Ocupa escola que todos nós que apoiávamos e lutávamos por ele estava tentando mostrar para sociedade esse tempo todo. Se você não viu vale a pena ver, se você não sabe do que estou falando vale a pena dar uma conferida também. E muito legal ver o quanto o movimento possibilitou a concretização de organizações democráticas por parte dos alunos e do quanto ele foi essencial para provocar uma mudança por parte dos próprios estudantes que passam a ver a possibilidade de uma escola diferente, com uma aprendizagem livre e democrática realizada em comunidade.

15 coisas que os terapeutas querem que você saiba- Esse texto é muito bom, ele reuni 15 coisas que todos nós futuros ou já consolidados psicólogos sérios gostaríamos que a sociedade entendesse, se você é aquela pessoa que torce o nariz para essa profissão, dê uma chance para o texto, se você tem dúvidas sobre o que um psicólogo pode ou não fazer também recomendo a leitura. Acredito que os preconceitos e inseguranças a respeito de ir ao um terapeuta seriam bem menores se todo mundo soubesse das coisas descritas nessa lista.

A geração que tudo idealiza e nada realiza- Esse texto é um tapa na cara da minha geração, por incrível que pareça por mais que ele seja bem crítico em relação a essa juventude dos dias de hoje, não é aquele texto irritante que fica falando "antigamente as coisas eram diferentes, eram melhores", ele não julga só fala a verdade. Recomendo a leitura para reflexão.

10 coisas que quem pensa demais está cansado de pensar- Se você pensa demais vai se identificar pakas com esse texto, pelo menos eu me identifiquei principalmente nos itens "3, 5, 9 e 10", se você não pensa demais leia o texto para entender as loucuras daquele seu amigo que você acha problemático por estar sempre criando problemas por pensar demais.

Hakeando_a_Vida-  Por último e não menos importante, essa é uma das melhores publicações que li nos últimos tempos e o mais legal dela é que é recheado de links sobre empreendedorismo, nomadismo e descolarização <3. André Camargo me ganhou logo no comecinho com o seguinte trecho "Desde cedo, você internaliza algo assim: vá para a escola, estude bastante, passe no vestibular, curse uma faculdade reconhecida e faça pós, conquiste um emprego com ótimo salário, case, tenha filhos e garanta uma boa aposentadoria. Aí você poderá fazer cruzeiros marítimos, jogar bingo e encher os netos de brinquedos de plástico, sucos de caixinha e eletrônicos que você não sabe mais usar." Se você se identificou dá uma passadinha por lá e boa sorte nas explorações dos links!

Bom Acho que é isso! Um pouquinho dos links que gostei de ler e que vim acumulando nesses últimos meses!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Leia para uma criança!


Feliz dia das crianças!! Sempre gostei muito de ser criança (quando eu era) e depois que cresci passei a gostar muito de estar com as crianças, desde brincar até querer mudar para melhor a vida de algumas delas. Foi devido essa vontade que comecei a fazer alguns trabalhos voluntários, depois comecei a querer trabalhar em tempo integral com elas e é por isso que comecei a estudar e pesquisar na universidade a infância, os direitos das crianças e habilidades sociais desenvolvidas nessa fase (mas isso é assunto para outro post).
De forma geral acredito no trabalho de prevenção, que consiste em proporcionar para nossas crianças uma infância saudável e feliz! Mas o que isso tem a ver com quem está lendo esse post? Tem tudo a ver... Porque qualquer um, inclusive você pode contribuir para que essa infância saudável aconteça, basta realizar pequenos gestos, pequenas atitudes... Como? Já pensou em ler para uma criança? Parece uma coisa boba, inútil, mas não é... Dar oportunidade dos pequenos entrar num mundo de faz de conta, de sonhar, de imaginar e de entrar em contato com a leitura e com as letras, são formas de promover habilidades indescritíveis para uma criança.
Vou parar de blábláblá e queria compartilhar o que me fez criar esse post, que foi um vídeo muito fofo do Itaú de 3 minutinhos, que é curtinho e vai deixar seu dia mais feliz (pelo menos deixou o meu)...  Achei super criativo! Dá um play aí:


O que falar depois disso? É gente, vamos aproveitar essa semana de comemoração dos dias das crianças e vamos ler para uma! Não tem nada mais bonito do que ver o sorriso delas na hora que fechamos o livro!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Janela Dela... Janela Nova...


Resolvi registrar sobre o novo layout do blog... Fazia muito tempo que queria mudar, estava enjoada... Toda vez que olhava para o layout me dava um super desanimo e até perdia a vontade de postar. Então criei coragem para mudá-lo... Ainda não resolvi se gostei desse novo ou não... Mas sem sombra de dúvida estou preferindo ele do que o antigo. 
Inicialmente eu não fazia ideia do que fazer, só tinha a certeza de querer algo bem mais clean, que não tivesse mais bordas nas fotografias e nem aquele fundo azul nas postagens. As ideias foram surgindo, as coisas foram acontecendo e acabou ficando isso aí. O único critério era manter o verde água e o azul que são cores que gosto muito e acho que harmonizam bem. Por fim acho que todo o conjunto final representa muito a minha vibe do momento: Tranquilidade, simplicidade, leveza. Espero que quando entrarem por aqui sintam isso também!
É lógico que agora muitas das postagens antigas ficaram desformatadas e estranhas, devido a mudança de cor do fundo das postagens, mas com o tempo vou consertando-as. É, acho que era só isso que queria postar mesmo! Janela Dela de cara nova...

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Sobre os blogs antigos... Sobre a blogsfera atual...

As vezes eu passo por aqui, e fico pensando o tanto de coisas que queria escrever e não escrevo... Faz parte do meu famoso perfeccionismo, nunca está bom, nunca está do jeito que eu queria, nunca tenho tempo para tirar fotos para ilustrar aquele determinado texto, etc, etc e etc. E assim as semanas se passam, os meses vão e as palavras que queria escrever sempre acabam se evaporando. 
Ontem a noite antes de dormir, fiquei lembrando da época que os blogs eram pessoais, que as pessoas escreviam um diário virtual, em que as postagens eram mais para quem escrevia do que exatamente para outra pessoa ler. E me bateu uma super saudade. Eu gostava de ler os relatos dos outros, saber sutilezas e coisas sem importâncias... Agora vejo muito mais propagandas de produto de beleza do que desabafos perdidos... Não que isso seja ruim, os tempos mudam e sempre existe espaço para tudo nesse mundo virtual. Mas sinto saudade de um espaço próprio para escrever o que penso, o que sinto, sem me importar em fazer algo bom e organizado que certamente estaria presente naquelas dicas super populares de como  bombar seu blog... Eu não preciso disso, nunca quis na verdade... Então porque não escrever quando sentir vontade? Sem me preocupar se está legal, se alguém vai ler, se enquadra-se na categoria postagem popular etc... Acho que essa blogsfera está precisando de mais liberdade, de menos receita e mais simplicidade, na verdade talvez não seja a blogsfera e seja eu mesma que precise disso.
Acho que esse texto é o começo dessa revolução, porque agora resolvi que o Janela Dela vai ser mais para mim do que para os outros, vou me preocupar menos com fotos, edição, conteúdo legal, design. E mais com o que estou sentindo, com o que tenho para desabafar, com as experiências que venho passando, com minha vida no geral...
Acabei de fechar uma janela e abrir outra... Que eu consiga manter aberta por muito tempo essa nova janela... Sem promessas de posts novos... Mas com a vontade imensa de mudar essa desatualização constante que sempre dominou a Janela Dela...

P.S.: É a primeira postagem que escrevo direto, sem ler novamente, sem postar foto, sem escrever no word, sem me preocupar se está inteligível... E é uma sensação libertadora 

domingo, 17 de maio de 2015

Seu dia valeu a pena hoje?


Eu sei que essa ideia de potinho da felicidade está ultrapassada e que um tempo atrás choveu posts nessa blogosfera sobre eles... Maaaaaaas, resolvi compartilhar o meu potinho com vocês também, por quê resolvi compartilhar? Porque a história do meu potinho é um pouco diferente das outras. Ele não é bem um potinho da felicidade...
Tudo começou com a leitura do livro "Felicidade" da Martha Medeiros, alguém aí já leu?  Então, enquanto lia, me deparei com essa crônica aí em baixo, chamada "Antes do dia Partir": 


"Paulo Mendes Campos, em uma de suas crônicas reunidas no livro "O Amor Acaba", diz que devemos nos empenhar em não deixar o dia parir inutilmente.
Eu tenho, há anos, isso como lema.
É pieguice, mas antes de dormir, quando o dia que passou está dando o prefixo e saindo do ar, eu penso: o que valeu a pena hoje? Sempre tem alguma coisa.
Uma proposta de trabalho. Um telefonema. Um filme. Um corte de cabelo que deu certo.
Até uma briga pode ter sido útil, caso tenha iluminado o que andava escuro dentro da gente.
Já para algumas pessoas, ganhar o dia é ganhar mesmo:
ganhar um aumento, ganhar na loteria, ganhar um pedido de casamento, ganhar uma licitação, ganhar uma partida.
Mas para quem valoriza apenas as mega vitórias, sobram centenas de outros dias em que, aparentemente, nada acontece, e geralmente são essas pessoas que vivem dizendo que a vida não é boa, e seguem cultivando sua angústia existencial com carinho e uísque, mesmo já tendo seu super apartamento, sua bela esposa, seu carro do ano e um salário aditivado.
Nas últimas semanas, meus dias foram salvos por detalhes.
Uma segunda-feira valeu por um programa de rádio que fez um tributo aos Beatles e que me arrepiou, me transportou para uma época legal da vida, me fez querer dividir aquele momento com pessoas que são importantes pra mim.
Na terça, meu dia não foi em vão porque uma pessoa que amo muito recebeu um diagnóstico positivo de uma doença que poderia ser mais séria.
Na quarta, o dia foi ganho porque o aluno de uma escola me pediu para tirar uma foto com ele.
Na quinta, uma amiga que eu não via há meses ligou me convidando para almoçar.
Na sexta, o dia não partiu inutilmente, só por causa de um cachorro-quente.
E assim correm os dias, presenteando a gente com uma música, um crepúsculo, um instante especial que acaba compensando 24 horas banais.
Claro que tem dias que não servem pra nada, dias em que ninguém nos surpreende, o trabalho não rende e as horas se arrastam melancólicas, sem falar naqueles dias em que tudo dá errado:
batemos o carro, perdemos um cliente e o encontro da noite é desmarcado.
Pois estou pra dizer que até a tristeza pode tornar um dia especial, só que não ficaremos sabendo disso na hora, e sim lá adiante, naquele lugar chamado futuro, onde tudo se justifica.
É muita condescendência com o cotidiano, eu sei, mas não deixar o dia de hoje partir inutilmente é o único meio de a gente aguardar com entusiasmo o dia de amanhã…"


E foi a partir desse texto magnifico, que resolvi por em prática antes de dormir o exercício de pensar e de escrever o que tinha feito meu dia valer a pena, fui juntando mil posts-its e quando percebi tinha um potinho cheio de recordações. O que faz seu dia valer a pena? 
Há algumas semanas quando resolvi ler os papelzinhos acumulados, mal lembrava o que tinha escrito na maioria deles, e foi inexplicável a sensação de descobrir que foram as pequenas coisas que tornaram meus dias mais felizes, a maioria dos meus "valeu a pena" tinham a ver com abraçar amigos, comer alguma coisa gostosa, receber um elogio, terminar algum trabalho, sorrir, encontrar alguém... 
Juro que dei um sorriso atrás do outro ao abrir cada post-it, chegou a ser terapêutico... A grande lição foi que percebi que sempre tem alguma coisa para fazer nossos dias valerem a pena (até naqueles que deu tudo errado), mas muitas vezes deixamos passar essas pequenas coisas e elas ficam lá esquecidas, despercebidas.
Assim queria convidar todo mundo a refletir sobre o que faz seu dia valer a pena, é um exercício e tanto... Não deixem seus dias irem embora como se não tivessem servido para nada... Alguém aí tem potinho das coisas que fazem seu dia valer a pena? O que vocês acharam da ideia? 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Se tivesse um iPod- Álbuns

Se tivesse um iPod é uma tag que eu acabei de inventar para falar um pouco das músicas que não paro de ouvir e que se eu tivesse um iPod com certeza elas estariam nele (sim não tenho iPod, uso o celular, o rádio, o computador... E evito fones de ouvido quando estou em casa).


Sou uma pessoa que não consegue viver sem música, gosto de ouvi-las estudando, conversando, lendo...E explicar meu gosto musical é extremamente difícil, Bianca rima com eclética. Escuto tudo e aprecio quase tudo. Gosto muito de música nacional, quem me conhece sabe disso, curto nova MPB, aquela MPB alternativa, contemporânea, jovem e desconhecida. Mas também gosto de pop rock, Jota Quest, Skank, Capital Inicial, cpm 22, NX zero e do rock Nacional clássico Legião Urbana, titãs entre outros. Mas não deixo para trás as internacionais, também amo indie, folk (que por sinal ultimamente estou ouvindo demais) e as aquelas pops que costumam tocar nas rádios e nas baladas da vida.  Uma “musicleta” ambulante, tenho fases musicais e cada época estou ouvindo algo diferente. De um tempo pra cá comecei a fazer uma coisa que não fazia que é ouvir álbuns até enjoar. Hoje me pergunto porque nunca fiz isso antes, definitivamente é a coisa mais legal e viciante que me aconteceu nessas férias.

Pensando nisso compartilharei os álbuns que não saem dos meus ouvidos. São vários, então resolvi dividir em mais de um post e fazer com que isso vire uma rotina. Selecionei três deles para hoje e por uma questão de organização escolhi três internacionais e de estilos “semelhantes” que realmente são os que mais ouvi nessa última semana, lembrando que nenhum deles é tão atual assim.
foster the people, se tivesse um iPod

1° Supermodel- Foster the people
Tenho uma relação de ódio e de amor por esse álbum. Sou apaixonada por Torches o primeiro álbum do grupo e meu favorito sem sombra de dúvida. Durante um bom tempo eu só o ouvia e adorava, daí quando lançou Supermodel fiquei beem empolgada, mas acabei me desapontando, ouvi uma vez e lembro que na época odiei, desisti e continuei ouvindo só Torches mesmo. Agora em janeiro, não sei porque resolvi dá uma chance, ouvi de novo. E uma vozinha lá no fundo da minha cabeça me disse que para gostar de alguma música é só ouvir mais de uma vez. E acho que foi isso que aconteceu, quando ouvi o álbum pela segunda ou terceira vez já estava viciada o suficiente para dizer que estava amando-o. E inacreditavelmente agora gosto muito dele, da melodia, das letras, dos arranjos e tudo mais... Uma pena que esse amor começou tão tardiamente.


As minhas músicas preferidas desse álbum são várias, resolvi eleger uma das mais conhecidas que tem tema legal, clipe criativo e ritmo viciante... Best Friend:


Jake Bugg, se eu tivesse um iPod

2° Jake Bugg- Jake Bugg
Eu sei, eu sei, o Jake já lançou outro álbum o Shangri La (que por sinal eu também gosto), mas não consigo me desapegar desse, curto as músicas mais velhinhas mesmo. Gosto muito do Jake Bugg, gosto da sua postura, da música e principalmente da voz, as músicas dele me lembram um pouco The Beatles. Muito amor! 

Música favorita: Two Fingers, gosto dessa porque no começo parece uma música muito chata, mas depois surge o refrão e ele gruda na cabeça.



3° Wolfgang Amadeus Phoenix- Phoenix
E por último, álbum supeeeeeeer velho! Ok, ok! Mas Phoenix é uma banda recente na minha vida! Conhecia faz tempo de ouvir falar, mas nunca tinha ouvido de verdade até ano passado. E quem me conhece sabe que tenho tendência a me apaixonar por coisas esquecidas, abandonadas e antigas, acho que por isso que gosto tanto desse álbum de 2009. E sobre a banda confesso que sei pouco sobre eles, apenas que são um grupo francês...

Preferida sem sombra de dúvidas é 1901  adoro demaaais o final dela! É tipo incrível!

Siiiiiiiim ando ouvindo muito pop/ rock indie, tanto Foster the people, como Jake Bugg e Phoenix seguem essa pegada também meio folk que é muito amor! Espero que tenham gostado... Alguém escuta alguns deles? Conheciam os álbuns? Gosta? E o que toca no iPod de vocês?